quinta-feira, 2 de abril de 2015

Com essa eu não contava, e agora?




Esta semana o inesperado bateu em minha porta. Chegou sem pedir licença, abalou todas as certezas e mandou pra bem longe a zona de conforto.
Uma pessoa muito próxima e amada teve um problema de saúde e o diagnóstico poderia ser algo simples e corriqueiro ou um câncer.  Foram mais ou menos 60 horas até o diagnóstico que me fizeram perceber como literalmente de uma hora para outra tudo pode mudar e certezas caem por terra. e como diz minha Mestra em P.E. - como somos frágeis e precários!

De repente todas aquelas indignações com a crise política do país que tanto incomodam, ficaram de lado. A crise de incerteza estava dentro de casa fazendo brotar um turbilhão de pensamentos e reflexões...

Se o pior se confirmar, será que vou conseguir administrar a vida com este fato novo? Revejo quais recursos tenho e o principal neste momento é a fé. Acreditar que Deus está sempre a favor, me fortalece e embora ainda com as pernas bambas já me sinto melhor.  Além da minha fé tenho a família e juntos, enfrentar qualquer situação fica menos difícil. E ainda tenho os amigos, pessoas preciosas que com palavras e cuidados nos dão as mãos e nos deixam mais firmes para caminhar rumo à realidade.

Se o pior se confirmar e o tratamento exigir recursos financeiros, como será? Bem, ainda temos uma reserva cujo objetivo não era para isto, mas se for preciso, usaremos sem pestanejar. E se não for suficiente? Ah temos bens materiais que podem ser vendidos. Diante de determinadas situações, um carro, uma casa, ou qualquer bem material se torna apenas recurso e perde todo aquele significado de posse, propriedade, status, que ilusoriamente construímos. Nada nos pertence já que, se partirmos nada levaremos. Percebo então que o desapego não é algo que me provoque sofrimento e isso me deixa feliz.  

Se o pior se confirmar, alguns projetos de trabalho não serão possíveis. Todos os planos terão que ser mudados apesar de todo planejamento e ações. Isso é ruim? Talvez não seja. Constatar que posso mudar a rota se necessário, é liberdade !

Se o pior se confirmar como não se deixar engolir pela auto piedade já que antes mesmo de qualquer confirmação já me pego em lágrimas? Como acredito que nada é por acaso e que todos os males trazem o bem, é hora de exercitar esta crença com serenidade. Se é para o bem não há porque se abater, não há porque se entristecer.  Será uma caminhada nova que trará aprendizado, crescimento espiritual, que na verdade é o que importa, e a possibilidade de enxergar o mundo com um novo olhar. E mesmo porque, se queremos ser úteis e ajudar quem amamos, precisamos estar bem, com foco no positivo e ajudar a caminhada ser mais tranquila. 

Foram cerca de 60 horas até saber que o pior não se confirmou! 
Mas bastaram alguns minutos para fazer uma síntese do processo e constatar que estou aliviada é fato, afinal quem amo não terá que passar por esta situação, mas também agradecida pela família e amigos que tenho, mais leve pela consciência de liberdade e desapego, e fortalecida na fé. 
E se o pior se confirmasse? Não seria fácil, é fato, mas estaria pronta para enfrentar com coragem e muito amor para tornar a caminhada de quem amo, melhor.

E o que me ocorre neste momento :

Em tudo dai graças! 
                1 Tessalonicenses 5:18

E encerro com a prece da Serenidade que fala por si.



Deus,
Conceda-me a serenidade
Para aceitar aquilo que não posso mudar,
A coragem para mudar o que me for possível
E a sabedoria para saber discernir entre as duas.
Vivendo um dia de cada vez,
Apreciando um momento de cada vez,
Recebendo as dificuldades como um caminho para a paz,
Aceitando este mundo cheio de pecados como ele é, assim como fez Jesus, e não como gostaria que ele fosse;
Confiando que o Senhor fará tudo dar certo
Se eu me entregar à Sua vontade;
Pois assim poderei ser razoavelmente feliz nesta vida
E supremamente feliz ao Seu lado na outra. Amém.

Reinhold Niebuhr
Em tempo: Uma ótima Páscoa a todos e que o sentido de RENOVAÇÃO seja presente para que sua vida seja melhor a cada dia!






2 comentários:

  1. Muito bom! Tem momentos em que não nos resta nada além de esperar... só que com fé e com apoio é muito melhor, ganhamos mais coragem. Passei por isso no meu terceiro parto. Gratidão pela reflexão! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentario. Felicidades sempre!

      Excluir