terça-feira, 24 de setembro de 2013

Como fazer bom uso do 13º salário.

No livro a Herança o Mentor Financeiro aconselha sempre um planejamento antes de gastar. Vamos então planejar o uso do 13º salário que está chegando?

O 13º Salário não existe em todos os países. Aqui no Brasil foi instituído pela Lei 4090 de 1962 , 51 anos atrás com objetivo de dar uma gratificação de natal aos trabalhadores. Como você faria se trabalhasse em um país cuja lei trabalhista não prevê o 13º Salário?

O fato é que consideramos este dinheiro um extra, um presente e queremos gastar com festas, mimos, mesa farta, roupa nova e fazer o que temos vontade.

Alguns antecipam metade deste dinheiro quando tiram férias. A Lei Trabalhista permite a quem sai de férias nos meses de fevereiro a novembro, requerer a metade do 13º salário também. Neste Caso a pessoa recebe o salário com 1/3 a mais e ainda soma a metade do 13º. Sente-se rico por alguns dias, mas logo o dinheiro vai embora. O ruim é que esta antecipação para gastos terá suas consequências. Nos sentiremos infelizes por receber apenas a metade do 13º e desta vez com todos os descontos. Agora, se você for realmente controlado, organizado e antecipar este valor para multiplicá-lo através de um investimento, aí faz sentido antecipar.

O ideal é não pensar no 13º Salário como um dinheiro extra, mas como uma poupança que você constrói mês a mês ( cada mês trabalhado dá direito a 1/12 do salário) para poder entrar o novo ano sem sufoco. Para isso acontecer é preciso administrar bem seu este dinheiro.

·         Evite pegar a metade do 13º salário antecipadamente. Só faça isso para pagar dívidas eliminando o pagamento de juros altos.
·         Cuidado com os apelos para que você gaste seu 13º antecipadamente. Muitas lojas já no mês Setembro ou Outubro colocam “promoções” para você pagar somente quando receber sua primeira parcela do 13º. salário. Fuja destas compras. Planeje o que de fato deseja, faça contas, pesquise preços antes de qualquer decisão.
·         Divida o 13º em quatro partes. Não precisam ser partes iguais, apenas divida entre: dívidas a quitar, despesas do início do ano, festas e poupança. Veja um esquema na figura acima.

·         A prioridade é sempre pagar dívidas e sair do endividamento para que seu dinheiro possa render mais e não ser engolido pelo Banco todos os meses. Só assim você terá um próspero Ano Novo.

Sucesso!


segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Vida Simples, de compulsória à opção.

No livro "A Herança" - Sophia nos leva a repensar valores e descobrir riquezas. Aqui vamos refletir um pouco mais sobre estilos de vida simples.


Para quem não sabe, na figura acima vemos um sarilho. Mecanismo para puxar água do poço na época em que água encanada não existia.Uns 50 anos depois de chegar a água encanada em São Paulo, vivemos como se tudo sempre fosse como é. Ligamos o piloto automático e não pensamos em outra forma de viver.
Já me perguntei algumas vezes se houvesse um apagão de energia como sobreviveríamos. Com certeza iria recorrer à minha mãe (79) e à minha avó(98) para resolver alguns problemas.
Para quem viveu antes dos efeitos da revolução industrial como minha avó, seria uma vida perfeitamente possível porém outro dia, a vi nervosa porque se perdeu com os botões do controle remoto e não conseguia fazer a TV funcionar.
Nos habituamos com conforto com muita facilidade.
Na contramão desta vida moderna com tantos prós e contras, vemos pessoas optando por uma vida simples e minimalista.
Enquanto nos escravizamos para gerar renda cada vez maior para acumular bens ou status ou as cifras dos investimentos, outros abrem mão do sistema e passam a viver com o mínimo necessário.
Temos os que vivem abaixo da linha da pobreza infelizmente de forma compulsória. Sem saneamento básico , sem terra fértil para plantar e se alimentar, sem água potável, sem políticas públicas e esquecidos em algum barraco de tábuas ou barro. Não é destas pessoas que estamos falando.
Falamos de quem vive de forma muito simples por opção e feliz.
Essa é a questão: feliz.
Quando não temos opção, condições de ter uma vida melhor, mais confortável, sobrevivemos. Quando temos opção de ter uma vida ao melhor estilo capitalista mas opta-se por uma vida minimalista é no mínimo curioso. Como é possível?
A seguir, links para ler, ver e refletir. Talvez uma mudança radical não seja possível ou desejada, mas vale pensar sobre o que podemos desapegar e o que de fato vale a pena ser vivido. Coloque sua opinião aqui no Blog sobre o tema ou nos conte suas experiências.

http://www.ecodesenvolvimento.org/posts/2013/setembro/mudanca-de-habitos-faz-com-que-despesa-de-casal

http://www.ecodesenvolvimento.org/noticias/jovem-blogueiro-ensina-como-viver-de-forma

http://www.ted.com/talks/view/lang/pt-br//id/1238